Portal Caparaó

carregando...

AGRONÉGOCIOS

06/05/2014

Dia de campo de tecnologias de pós-colheita

LAJINHA (MG) - A colheita e pós-colheita do café são as atividades que mais contribuem para a qualidade final do produto. Conscientes disso, instituições participantes do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café, estão unindo esforços para incentivar a adoção de práticas culturais inovadoras e eficientes por meio de treinamentos especializados a técnicos, extensionistas e produtores (agentes multiplicadores). As ações estão em consonância com as normas técnicas específicas para a Produção Integrada do Café, publicadas na Instrução Normativa (IN) nº 49, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa.

Como parte dessa iniciativa, será realizado no próximo dia 7, quarta-feira, em Lajinha-MG, dia de campo cujo tema será tecnologias de processamento e secagem para produção de café de qualidade. O objetivo é a transferência de tecnologias de pós-colheita recomendadas pelo Consórcio Pesquisa Café. O evento é uma realização da Cooperativa dos Cafeicultores da Região de Lajinha – COOCAFÉ e das instituições participantes do Consórcio Pesquisa Café: Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais – Emater-MG, Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – Epamig, Universidade Federal de Viçosa – UFV e Embrapa Café. Os interessados em se inscrever devem manter contato pelo e-mail cintia@coocafe.com.br ou pelo telefone 33 8408-1701, falar com Cintia Matos.

Para o professor Juarez Sousa e Silva, que desenvolve pesquisas na UFV, a expectativa é de que entre 150 e 200 pessoas participem do evento para receber informações sobre o terreiro secador, o silo secador híbrido, a abanadora, o lavador de café e ainda sobre o reuso da água do processamento do café. “Nossa expectativa é que essas tecnologias alcancem o maior número de pessoas e que cada uma delas possa nos ajudar a replicá-las continuamente, angariando sempre novos parceiros dessas ações”.

Da parte da Emater-MG, a expectativa é de que o curso melhore a qualidade do café, agregando valor ao produto e à cafeicultura local. “São tecnologias simples, já bastante difundidas na região, de fácil acesso e baixo custo de implantação que, ao contribuir para a melhoria da qualidade vai propiciar também a obtenção de preços diferenciados. Queremos que mais cafeicultores conheçam esses recursos tecnológicos e os utilizem em suas propriedades para a sustentabilidade de sua produção”, diz o coordenador técnico regional da Emater-MG, Paulo Roberto Correa.

Programação, participantes e local - A programação faz parte de atividade previstas nos projetos “Transferência de tecnologias para a melhoria da qualidade do café produzido pela agricultura familiar”, que tem recursos da Embrapa, e "Capacitação em pós-colheita de café como prática de sustentabilidade", que tem apoio financeiro do Consórcio Pesquisa Café. Haverá quatro estações (unidades demonstrativas) com temas diferentes a serem demonstrados: colheita, processamento e secagem do café e construção de terreiro e silo secador. Em cada estação haverá um pesquisador e um técnico para conduzir os ensinamentos. Entre eles, o professor Juarez de Sousa e Silva e os pesquisadores Sammy Fernandes Soares (Embrapa Café) e Sérgio Donzeles (Epamig).

Além da presença de pesquisadores das instituições envolvidas e de técnicos da COOCAFÉ e da Emater-MG, o evento contará, também, com a presença de cafeicultores, microempresários da área de construção de equipamentos, pedreiros e eletricistas.

O dia de campo será realizado na propriedade do senhor Agostinho Bernardes, próximo ao Córrego do Carvalho.

Assessoria de Imprensa

Compartilhar

Comentários

O Portal Caparaó não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens. O Portal Caparaó se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas. As opiniões são de responsabilidade de seus autores.