Portal Caparaó

carregando...

SAÚDE

10/01/2017 - Atualizado em 11/01/2017 7h57

Moradores encontram macacos mortos na região de Simonésia

SIMONÉSIA E IPANEMA (MG) - Moradores registram mortes de macacos por causas ainda desconhecida. Uma imagem foi encaminhada por morador, mostrando o animal encontrado morto nesta segunda, dia 9 de janeiro, nas proximidades de Alegria, distrito de Simonésia.

A reportagem conversou com outras pessoas de regiões diferentes que também relataram o ocorrido

“Aqui em São Vicente acharam pelo ou menos uns três macacos mortos e com a informação de mortes com suspeita de febre amarela, a gente fica assustada”, conta Josierlaine Meira

Diego Fraydewoks conta que “Existem casos relatados também por agricultores de morte macacos barbados em São José do Mantimento e na região de Santa Quitéria em Santana do Manhuaçu”.

MORTANDADE

Especialista em Gestão Ambiental dá detalhes sobre a mortandade de macacos em área próxima à Reserva Feliciano, entre Caratinga e Ipanema.

As mortes de dezenas de macacos barbados em áreas rurais ou de mata colocaram as autoridades de saúde e especialistas ambientais em alerta, na região de Ipanema, por ser um indicativo de surgimento de circulação do vírus da febre amarela silvestre. A doença é comum em macacos, que são os principais hospedeiros do vírus.

A febre amarela silvestre é transmitida através da picada de mosquitos Haemagogus que vivem em matas e vegetações à beira dos rios. Quando o mosquito pica um macaco doente, torna-se capaz de transmitir o vírus a outros macacos e ao homem.

O geógrafo e pós-graduado em Gestão Ambiental, Antônio Bragança, que está auxiliando nas investigações na região, atuou há 15 anos na Reserva Particular do Patrimônio Natural Feliciano Miguel Abdala (RPPN – FMA), em Caratinga, e trabalhou com micos-leões-dourados na Reserva Biológica Poço das Antas, no Rio de Janeiro (RJ) por três anos.

Segundo informado por Bragança, no Córrego dos Andrés, pertencente à Simonésia, a cerca de 5 km de Ipanema, um fazendeiro relatou que os macacos barbados estariam todos morrendo em sua fazenda, o que provocou um alerta naquela região. De acordo com o proprietário da fazenda, José Henrique, os vaqueiros dele já encontraram mais de 20 macacos mortos. Conforme Bragança, a informação das mortes dos macacos foi recebida nesta última quinta-feira (05).

Na sexta (06), o especialista em Gestão Ambiental se reuniu com a direção da RPPN-FMA e foi verificado que lá também estão morrendo barbados. “Há dois animais congelados para coletar material a ser destinado para análise laboratorial para confirmar a causa das mortes dos macacos”, explicou. “Os mais sensíveis à doença, primeiro, são os barbados, e depois o macaco-prego. Não há relatos de febre amarela em muriquis. Mas em barbados é muito comum. Barbados, geralmente, são um sinal de alerta”, completou.

Ontem, o município de Ipanema estava à espera de especialistas e representantes do Ministério da Saúde (MS) para ir a campo e fazer levantamentos, assim como coletar material para descobrir a causa das mortes dos barbados.

As autoridades de saúde de Ipanema também estão em alerta, pois, casos suspeitos já foram registrados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Ipanema.

TV Super Canal e Giro21.com

Compartilhar

Comentários

O Portal Caparaó não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens. O Portal Caparaó se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas. As opiniões são de responsabilidade de seus autores.