Portal Caparaó

carregando...

CULTURA

13/06/2017 - Atualizado em 14/06/2017 8h00

Academia Manhuaçuense de Letras entrega Comenda José Lins do Rego

MANHUAÇU (MG) - Sessão solene realizada pela Academia Manhuaçuense de Letras (AML) lançou dois novos livros de autores de Manhuaçu, além de celebrar o 116º aniversário do Patrono da instituição, o escritor José Lins do Rego. A noite de sexta-feira ainda foi marcada por homenagens a personalidades que contribuem com a cultura e as artes.

A Comenda José Lins do Rego é entregue a personalidades e instituições que contribuem para a divulgação e apoio à literatura e às artes, como também, no engrandecimento da educação e cultura de Manhuaçu. A outorga é feita sempre no aniversário do nascimento do escritor José Lins do Rego, patrono da AML.

Mostrar um pouco mais da vida e obra de José Lins para o povo tem sido uma das propostas da Academia Manhuaçuense de Letras. Desde sua fundação, os acadêmicos decidiram homenagear o escritor como patrono da AML. A história mostra que foram apenas dois anos: de 1925 a 1926, o período em que o escritor paraibano José Lins do Rego morou na cidade de Manhuaçu. “Mas a cidade não o esqueceu”, garante o presidente da Academia, advogado Luiz Amorim.

A homenagem serve também para aproximar o público da trajetória e da obra do imortal da Academia de Letras que passou pelas terras manhuaçuenses.

Neste ano, receberam a comenda: o colunista do Jornal Tribuna do Leste, José Geraldo Barbosa, o Padre Jose Raimundo da Costa (Padre Mundinho) – pároco do Bom Pastor, o professor e músico Moacir Silva Correa – “Tikim” e o músico Fernando César Chequer.

Padre Mundinho destacou que foi “uma grande honra receber essa Comenda da Academia e só tenho a agradecer aos acadêmicos e enaltecer todo o trabalho que é feito pela Cultura”.

DOIS LIVROS

A noite também teve o lançamento de dois livros de autores manhuaçuenses: a estudante de Direito Nathalia Schetine lançou “Eterno Amor” e o analista de educação da Superintendência de Ensino de Manhuaçu Gessé Antônio de Souza com "A morada mais bonita que já se viu".

O Presidente da Academia Manhuaçuense de Letras, Dr. Luiz Gonzaga Amorim, considera que a sessão foi emocionante. “Ver a obra de José Lins do Rego que influencia até hoje a literatura nacional, promover o lançamento de obras de filhos de Manhuaçu, dois autores de gerações diferentes com um objetivo em comum”, avalia.

O escritor Gessé Antônio fala da satisfação em lançar o seu livro num evento tão grandioso para a cultura de Manhuaçu. “Foi um trabalho feito com muito amor. Foi garimpado nas entranhas da sala de aula, interpretando as angústias e os sonhos de professores e alunos. Esse livro é um produto que é dedicação, sangue, é uma obra de carinho e que desejo que atinja o coração de todos que o lerem”.

A estudante de Direito Nathalia Schettine agradeceu a Deus, ao Dr. Aluísio Garcia, ao professor Luís Sérgio e todos os meus familiares e namorado que acreditaram nesse projeto. “É um imenso prazer estar aqui representando a nova geração de poetas e poetisas brasileiras”.

HOMENAGEM AO PADRE JÚLIO

O presidente Luiz Amorim também ressaltou outro momento de muita emoção na reunião: a homenagem prestada ao Padre Júlio Pessoa Franco, pelo acadêmico Paulo Roberto de Magalhães Alves.

“Nutrimos uma admiração muito grande pelo homem, pelo sacerdote que ele é. O Padre Júlio é um homem puro. É a própria presença de Deus em nosso meio. Ele emana amor, caridade, felicidade para todos que convivem com ele” pontuou Amorim.

O acadêmico Paulo Roberto de Magalhães reforçou o carinho que todos nutrem pelo Padre Júlio. “Ao final, foi aplaudido de pé pelos acadêmicos e pelos visitantes. Tive o prazer de poder escrever um pouco dessa trajetória e a pessoa maravilhosa que é o nosso querido Padre Júlio. Espero que acompanhem a cartilha, as diretrizes que o Padre Júlio ensinou. É uma pessoa de Deus”.

Dr. Paulo relembrou os feitos do padre Júlio no ministério sacerdotal, mas também na comunicação.

Padre Mundinho faz questão de também elogiar a trajetória do Padre Júlio Pessoa Franco: “É um homem de visão que trabalhou muito pela comunicação. Temos que agradecer a Deus e a todo o empenho do Padre Júlio, que prestou um grande serviço a Manhuaçu e a toda a região”.

Compartilhar

Comentários

O Portal Caparaó não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens. O Portal Caparaó se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas. As opiniões são de responsabilidade de seus autores.