Portal Caparaó

carregando...

CULTURA

06/10/2017 - Atualizado em 06/10/2017 16h29

Manhuaçuense da Escola de Música da UERJ ganha prêmio internacional

MANHUAÇU (MG) - O estudante de piano da Escola de Música da UFRJ, Rafael Ruiz, foi contemplado na Semana Internacional de Piano de Óbidos com o Prêmio Antena 2, promovido pela rádio portuguesa de mesmo nome. O evento ocorreu de 10/8 a 21/8, em Óbidos, Portugal, e reuniu professores e alunos de universidades de todo o mundo para participarem das chamadas masterclasses. No encerramento, 16 alunos selecionados se apresentaram e foram avaliados pelo público e pela banca, sendo Rafael um dos dois escolhidos.

O pianista brasileiro fez uma homenagem ao compositor Heitor Villa-Lobos, que completaria seu 130º aniversário em 2017, apresentando as peças da Prole do Bebê nº 2: O gatinho de papelão e O ursinho de algodão. Justamente devido a essa escolha, Rafael não imaginou que seria selecionado. “Não achei que o público fosse se identificar porque as composições dele são mais modernas e têm muita dissonância. As pessoas não estão tão acostumadas com isso, mas foi muito emocionante esse resultado”. Como prêmio, o estudante da UFRJ vai apresentar um concerto em Portugal no ano que vem, a ser transmitido pela rádio Antena 2.

Essa foi a primeira vez que um brasileiro ganhou esse prêmio e, para o estudante, esta é uma prova de que o estudo e o trabalho estão rendendo frutos. No último ano do curso, ele já planeja fazer mestrado no exterior. Inclusive, a viagem para a Europa, durante a qual participou do evento, foi arcada com recursos próprios, com o objetivo de fazer contatos para a pós-graduação.

Trajetória

Estudante de piano desde os seis anos, o aluno, natural de Manhuaçu, foi sozinho para o Rio de Janeiro aos 17 anos porque desejava estudar com o professor da UFRJ Luiz Senise. Hoje, eles têm uma relação tão sólida que Rafael o reconhece quase como pai, devido ao trabalho realizado e ao apoio oferecido.

Para o pianista, estudar na UFRJ foi a melhor escolha que ele fez: “É uma instituição renomada, onde grandes músicos e compositores estudaram. Essa importância histórica deve ser levada em consideração”, acredita o músico.

Agraciado com o 1º lugar "Hors Concours" no XXV Concurso Nacional de Piano Souza Lima, o pianista Rafael Ruiz iniciou seus estudos em Manhuaçu/MG, sua cidade natal. Posteriormente, em Belo Horizonte, foi orientado por Junia Canton e Rubner de Abreu, e atualmente cursa o Bacharelado em Piano na UFRJ, na classe do professor Luiz Senise. Tem participado de importantes festivais de música e de masterclasses ministradas por renomados pianistas, como Ricardo Castro, Sofya Gulyak, Michael Uhde, Fany Solter no Brasil, e com Bóris Berman, Josep Colom e Luiz de Moura Castro, em Portugal. É detentor de 15 prémios em concursos nacionais de piano, destacando-se dentre eles o 1º lugar no VI Concurso Nacional de Piano Lorenzo Fernandez, em Montes Claros; o 1º lugar no I Concurso Nacional de Piano Casa da Música, em Porto Alegre; 1º lugar no I Concurso Nacional de Piano e Canto de Câmara da UFRJ, no Rio de Janeiro. Como premiação de concursos, foi solista da Orquestra Sinfónica de Minas Gerais, Orquestra Sinfónica da UFRJ e Orquestra Sinfónica Jovem de Goiás, sob a regência de Roberto Tibiriçá, André Cardoso e Katarine Araújo. Apresentou-se em recital transmitido ao vivo pela Rádio MEC FM, e gravou para o programa Partituras, da TV Brasil. Na Europa, apresentou-se em concerto transmitido pela rádio Antena 2 Portuguesa durante a XVIII Semana Internacional de Piano em Óbidos, e em recital no Festival dei Golfo, na Itália.

Rafael é motivo de orgulho de Manhuaçu e dos pais Maria Cristina Caldeira Duarte e Pedro Ruiz Alves Costa.

Informações e foto UERJ/Luiz Nascimento

Compartilhar

Comentários

O Portal Caparaó não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens. O Portal Caparaó se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas. As opiniões são de responsabilidade de seus autores.