Portal Caparaó

CIDADES

10/04/2018 - Atualizado em 11/04/2018 12h23

Peregrinação ao Cruzeiro Bem Posta - Boa Vista reforça religiosidade

MANHUAÇU (MG) - A Peregrinação Religiosa ao Cruzeiro das Comunidades Bem Posta e Boa Vista, que este ano completa 32 anos, foi pauta da reunião do COMTUR (Conselho Municipal de Turismo) de Manhuaçu, na tarde desta segunda-feira, 09/04. Realizado no Centro Cultural, sob a presidência do Jornalista Sebastião Fernandes, o encontro contou com a participação do Padre Antônio Otaviano da Costa Franco (Pároco de Bom Despacho) – idealizador da peregrinação que ocorre todos os anos, no dia 03 de maio, com celebração de Santa Missa às 10h da manhã no cruzeiro.

Em pauta, a proposta de inclusão da peregrinação ao Calendário Oficial de Eventos do Município e o seu tombamento como patrimônio imaterial, material e natural de Manhuaçu, entre outras questões. Além de conselheiros, presentes moradores das duas comunidades rurais, a Chefe de Gabinete, Sandra Cerqueira; Secretários Municipais Gena Clara (Cultura e Turismo) e Flânio Alves (Agricultura); rep. do IEF, Kildaire de Lima Brandão; Presidente do COMPAC (Conselho Municipal do Patrimônio Artístico e Cultural), Dilma Resende, e Fabrício Santos.

Feliz por organizar esta peregrinação há mais de trinta anos, Padre Otaviano, conhecido por sua atuação como sacerdote em Manhuaçu durante vários anos, pontuou a importância da criação de reserva ecológica no local. ‘É um ato de povo, espontâneo, livre, alegre e que finca as raízes da fé cristã e da religiosidade. No ano passado, conversei com a Prefeita Cici Magalhães quanto à concordância dela para a criação de reserva ecológica, porque é uma área bonita e de preservação. Lá, há trinta e dois anos, acontece Missa celebrada no Dia 03 de Maio, uma data litúrgica da Santa Cruz, que cria no povo uma espera. O povo se liga, religiosamente com isto; subir a montanha em sacrifício, em penitência, mas com o espírito alegre. A nossa fé se manifesta é nestas coisas’, comentou.

Padre Otaviano também mencionou a necessidade de melhorias na estrutura do trajeto (como degraus e corrimãos), para que os peregrinos - especialmente os idosos - possam fazer o percurso com segurança, sem o risco de tombos, além da construção de abrigo, com a disponibilidade de água potável na parte alta, junto ao cruzeiro.

Com dois acessos principais ao cruzeiro, em cada ano, a peregrinação segue um percurso: ou pela Comunidade Bem-Posta (onde são montados Oratórios no trajeto) ou pela Com. Boa Vista (com a exposição de quadros relembrando a Via-Sacra).

Foram aprovadas nesta reunião do COMTUR, as seguintes propostas, que serão encaminhadas aos setores competentes;

             Definição do nome da peregrinação como: ‘Caminho da Santa Cruz’;

             Criação de reserva ecológica na área onde se situa o cruzeiro e entorno;

             Construção de banheiros no local;

             Elevação de água potável ao ponto mais alto, onde ocorrem as celebrações;

             Construção de degraus e corrimão em pontos mais íngremes;

             Melhorias nas subidas por ambas as comunidades (Boa Vista e Bem Posta);

             Constituição do Conselho Gestor (tripartite: Prefeitura, Comunidades e Igreja);

             Elaboração do Projeto pela empresa Germinar;

             Encaminhar ao COMPAC, a proposta de inclusão da peregrinação como patrimônio imaterial e material do município;

             Encaminhar ao CMA (Conselho Municipal de Meio Ambiente), a proposta de inclusão da peregrinação como patrimônio natural de Manhuaçu.

Kildaire Lima, do IEF, ressaltou a importância de observar os procedimentos legais quanto à delimitação e documentação da área a ser destinada para a reserva ecológica.

Secretaria de Comunicação Social – Prefeitura de Manhuaçu

Compartilhar

Comentários

O Portal Caparaó não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens. O Portal Caparaó se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas. As opiniões são de responsabilidade de seus autores.