Portal Caparaó

AGRONÉGOCIOS

05/05/2018 - Atualizado em 07/05/2018 13h11

Programa ATeG Café: técnicos e produtores fazem curso de Drone em Manhuaçu

MANHUAÇU (MG) - O drone já é uma realidade nas propriedades rurais do Brasil e o Senar Minas já oferece um curso para ensinar as habilidades para utilizar o equipamento e capturar imagens. Nesta semana, é a vez dos técnicos do programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG Café) nas Matas de Minas participarem do treinamento, realizado em Manhuaçu. Uma nova turma começa a ser capacitada nesta quinta-feira (3) e outras duas estão previstas.

A primeira turma com os profissionais do ATeG Café terminou na quarta-feira (2) e contou com a participação do supervisor dos técnicos, Daniel do Prado. “Os técnicos perceberam esta área como uma oportunidade de qualificar a assistência técnica aos produtores atendidos pelo programa ATeG”, explicou.

O drone pode contribuir para a melhoria da assistência técnica e gerencial, de acordo com a técnica Jéssica Carmo. “Será uma ferramenta que, se incluída na metodologia do programa ATeG, terá grande impacto na qualidade da assistência, pois permitirá o levantamento de informações topográficas com agilidade e eficiência, auxiliará também no controle de pragas e doenças, podendo-se tomar decisões antecipadas e localizadas, possibilitando até a diminuição do uso de defensivos de forma generalizada”, enfatizou.

Para o técnico Sebastião Brinate, que assiste cafeicultores de Alto Caparaó e Alto Jequitibá, após o curso, eles poderão utilizar o conhecimento no trabalho desempenhado na região. “A tecnologia para cafeicultura de montanha é uma questão muito discutida e complicada. Estamos vendo no drone uma excelente ferramenta para nos auxiliar a assistir melhor as propriedades, ‘enxergando’ possíveis problemas e auxiliando muito na tomada de decisão”, destacou.

Outras duas turmas irão qualificar cafeicultores que já têm um conhecimento técnico mais avançado e podem utilizar o drone como uma opção no auxílio da gestão de suas propriedades. O curso está sendo oferecido em parceria com o Sindicato de Produtores Rurais de Manhuaçu.

Vantagens do Drone

O curso de Drone começou a ser ofertado pelo Senar Minas em 2017 e trabalha o conteúdo básico para a utilização do equipamento: segurança, legislação, sensores, operação manual e automatizada, além da captura de fotografias e vídeos.

 “É o presente no meio rural e será corriqueiro no futuro. Todo mundo pode controlar o drone. Um cadeirante, por exemplo, pode acompanhar toda a sua propriedade da varanda da casa”, destacou o instrutor Cleverson Vieira Pires.

O equipamento, remotamente pilotado, oferece uma série de possibilidades e vantagens. “Além da agilidade para percorrer a área da propriedade e da questão de auxiliar na segurança, permite conhecer plantas danificadas, falhas, localização do gado, mapeamento. Representa economia e ganhos ambientais”.

O modelo usado no curso do Senar é o de asa rotativa e que pode chegar a 120 metros, mas há uma grande variedade de modelos. Os equipamentos têm GPS, bússola, sensores de estabilidade, câmera, entre outros acessórios possíveis. Mas o produtor também precisa estar atento à legislação e estar de acordo com as exigências da Anatel, Anac, Decea e Ministério da Defesa.

Nathalie Guimarães / Senar Minas

Compartilhar

Comentários

O Portal Caparaó não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens. O Portal Caparaó se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas. As opiniões são de responsabilidade de seus autores.