Portal Caparaó

POLÍCIA

27/06/2018

Polícia Civil conclui inquérito da Operação Borderline

MATIPÓ (MG) - A Polícia Civil de Minas Gerais indiciou quinze pessoas com a conclusão do inquérito da Operação Borderline. Oito estão presas presas preventivamente. A ação foi elaborada para desarticular organização criminosa especializada no tráfico de drogas e venda de armas.

Na quinta-feira, 21/06, a Polícia Civil de Abre Campo realizou a última fase da operação Borderline, cumprindo mandados de busca e apreensão em Matipó, Padre Fialho e Santa Margarida.

Desde dezembro do ano passado, intensas investigações foram realizadas e apurou-se a rota da droga de Angra dos Reis para traficante de Matipó/Pedra Bonita, que revendia para traficantes locais em Abre Campo, Sericita, Rio Casca, Manhuaçu, Matipó e distrito de Padre Fialho/Matipó.

Em abril, em operação que contou com cerca de 60 policiais civis de toda região (Espera Feliz, Manhumirim, Manhuaçu, Lajinha, Santa Margarida, Matipó, Abre Campo, Rio Casca e Ponte Nova, além do apoio aéreo de aeronave) a PCMG já havia prendido preventivamente 8 traficantes.

Foram apreendidas armas de fogo e vários quilos de cocaína enterradas em potes nas propriedades dos traficantes.

Em um só Inquérito Policial, a polícia judiciária demonstrou e detalhou a conduta criminosa de cada um dos 15 integrantes da Organização criminosa, que cometeram crimes de lavagem de dinheiro, tráfico de drogas, associação para o tráfico, comércio de arma de fogo, porte de arma de fogo, corrupção de menores, e receptação.

O serviço de inteligência da Delegacia de Polícia Civil de Abre Campo, com apoio da Delegacia de Matipó, realiza um dos maiores serviços de combate ao tráfico de drogas já feito na Comarca e região, com robustas provas produzidas dentro das milhares de páginas do Inquérito Policial.

Os indiciados, que são de Matipó, Abre Campo, Pedra Bonita, Sericita, Rio Casca e Angra dos Reis, foram denunciados e agora respondem na Justiça pelos crimes.

Informações da Polícia Civil

Compartilhar

Comentários

O Portal Caparaó não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens. O Portal Caparaó se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas. As opiniões são de responsabilidade de seus autores.