Portal Caparaó

SAÚDE

03/10/2018 - Atualizado em 04/10/2018 19h58

Fórum de Valorização da Vida e prevenção do suicídio

MANHUAÇU (MG) - Para marcar o encerramento do “Setembro Amarelo” em Manhuaçu, mês de prevenção do suicídio, uma programação especial aconteceu nesta sexta-feira, 28, pela Secretaria Municipal de Saúde com a realização do I Fórum de Valorização pela Vida. O evento reuniu profissionais das áreas da Saúde, Educação, Atenção Primária à Saúde, CAPS, Ação Social, além de estudantes de psicologia, enfermagem, representantes de vários segmentos e convidados.

O assunto foi tema de palestras ministradas pelos psicólogos, Santiago Souza, doutorando e mestre em psicologia, cognição e comportamento. O professor destacou sobre os fatores de risco e proteção frente ao comportamento suicida e o efeito Werther (refere-se a um pico de emulações de suicídios depois de um suicídio amplamente divulgado). A psicóloga Lucinei de Souza Lopes falou sobre a importância da família na construção psicossocial do indivíduo e, a correlação com o sintoma. Especialista em psicologia da educação, com ênfase em psicopedagogia, a palestrante destacou a importância de se estabelecer o diálogo e falar sobre o assunto.

O coordenador municipal de saúde mental, Dimitri Xavier Borges (mestre em saúde mental e acupuntura), enfatizou em sua palestra “o papel da rede de atenção à saúde na valorização da vida”. O palestrante aproveitou também para lançar o projeto de saúde mental e redes, que será trabalhado nas escolas, instituições para que haja verdadeira consciência e valorização da vida.

Para levar os participantes a uma reflexão sobre o tema, o evento contou também com a apresentação teatral inspirada no trabalho da humorista mineira Cida Mendes, que interpreta a “Concença” e reformulado por Juliene Maria de Souza, usuária do CAPS AD II, juntamente com a funcionária Celita com a peça “suicidá não dá. Tem é que falá”.

Em entrevista, a secretária municipal de saúde, Dra. Karina Gama dos Santos Sales disse que o evento serviu para sensibilizar a todos os profissionais da área da saúde e, de outras áreas que também participaram do fórum de valorização pela vida. Segundo ela, com a presença das escolas e demais segmentos discutindo o assunto, tornou-se mais fácil instrumentalizar e fortalecer todas as ações, para evitar que casos continuem acontecendo. “A presença da prefeita reforça o compromisso, a vontade de buscar sempre o melhor para o município.  E agora, o trabalho através da Rede de Atenção Psicossocial irá fortalecer mais as nossas ações”, disse Dra. Karina Gama dos Santos Sales.

Projeto lançado irá alcançar escolas

Na abertura do I Fórum de Valorização pela Vida, na presença de convidados e autoridades, foi apresentado o projeto “Saúde Mental para Todos” elaborado pelo coordenador municipal de saúde mental, Dimitri Xavier Borges. O documento foi assinado pelas secretárias de saúde, Dra. Karina Gama; educação Luizaura Januário; Trabalho e Desenvolvimento Social Guizaina Celeste Gregório; coordenador municipal de saúde mental, Dimitri Xavier Borges e a prefeita Cici Magalhães. O documento destaca que o projeto é um novo instrumento de ação em saúde educativa, com o compromisso formal das ações, no que se refere a cada setor, para a realização, além de sua manutenção e sequência, tendo em vista a necessidade constante de promoção da saúde mental para todo o município de Manhuaçu, além dos muros institucionais da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS).

A prefeita Cici Magalhães destaca que o assunto é preocupante, precisa ser debatido para as pessoas entenderem o que leva ao suicídio, para evitar que tantos casos ocorram. “Aqui assinamos um documento, para que o projeto Saúde Mental para Todos seja desenvolvido, com a participação das demais secretarias e órgãos municipais, a fim de que a Rede de Atenção Psicossocial cresça e, em breve vamos ter também o CAPS 24 horas”, concluiu a prefeita.

Ass.Com.SMS

Compartilhar

Comentários

O Portal Caparaó não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens. O Portal Caparaó se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas. As opiniões são de responsabilidade de seus autores.