Portal Caparaó

GERAL

29/10/2018 - Atualizado em 30/10/2018 10h53

Advogados se unem para construção de parlatório no presídio

MANHUAÇU (MG) - Foram concluídas nesta semana, as obras do parlatório no presídio de Manhuaçu. O novo espaço vai garantir mais dignidade ao exercício da função da advocacia criminal local e também aos detentos do presídio.

Segundo o advogado Glauco Murad Macedo, um dos colaboradores, a obra atende uma demanda importante dos profissionais do Direito na cidade de Manhuaçu e região. “Há poucos meses o que era apenas um sonho tornou-se uma realidade. Não é uma obra vultuosa, mas atende perfeitamente aos objetivos traçados, quais sejam, dar mais dignidade, profissionalismo e valor aos advogados e aos detentos por eles atendidos. Enfim, para quem atendia de pé, sem sequer uma lâmpada, e já estava perdendo as forças e a esperança face ao descaso institucional, é uma grande vitória”, comemorou.

Segundo Glauco Macedo, sem qualquer colaboração institucional, cada qual deu sua contribuição para que o parlatório fosse instalado. “Os advogados doaram os materiais, o presídio a mão-de-obra e, para completar as doações e não sobrecarregar demais os operadores do direito, conseguimos com três empresários de Manhuaçu o material que faltava. Agradeço a todos pela realização”, finalizou.

Participaram com as doações os Advogados: Samuel Firmino de Brito, Helon Demetrius, Perseu Lugon, Fabrício Dias Teixeira, Glauco Macedo, Leonardo Gomes, Fernanda Elias, Diogo Claudio, Denoir Schueng, Wenio Nunes Pereira, Leandro Satler Campos, Elaine Oliveira da Silva, Wenceslau Ferreira da Costa Filho, Alexandre Gomes de Souza, Rute-Lea Paiva; as empresas: Atlântica Materias de Construção, Sema Materiais Elétricos e Madereira Itamaraju; e do Presídio o Diretor Carlos Eduardo de Paula e agentes Luiz Quintino Narciso e Alcy Pereira da Silva.

Os detentos, além de contribuir com a mão-de-obra, puderam remir sua pena através do trabalho prestado.

Redação

Compartilhar

Comentários

O Portal Caparaó não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens. O Portal Caparaó se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas. As opiniões são de responsabilidade de seus autores.