Portal Caparaó

CIDADES

09/11/2018 - Atualizado em 10/11/2018 13h10

Moradores prejudicados por inundações protestam na Câmara de Reduto

REDUTO (MG) - Moradores das ruas Diácono Ernesto Perrú, Santa Luzia e circunvizinhas prejudicados pelas frequentes inundações protestaram pedindo providências às autoridades da Prefeitura e Câmara de Reduto após serem novamente prejudicados pelo alagamento ocorrido no último domingo (4), durante o forte temporal.

Com a chuva, a água se represou em vários pontos. A lama desceu dos morros, inundou as casas e não deu tempo para as famílias se deslocarem.

Na rua Diácono Ernesto Perrú, famílias perderam diversos moveis, eletrodomésticos, alimentos, roupas.

No início do ano, os moradores já haviam solicitado providências ao poder público quanto aos entupimentos ocorridos com frequência e agravados pelo vazamento de esgoto na rua.

O mesmo acontece na rua Santa Luzia, um trecho de seis residências, que todos os anos sofre com inundações, causando transtornos em razão da incapacidade dos sistemas de drenagem de águas pluviais, aliado a enorme quantidade de terra proveniente de desaterro.

De acordo com os moradores, foram construídas galerias nos morros acima com intuito de amenizar a situação, mas que por falta de manutenção, não comportam a quantidade de chuva vindo a transbordar e jogar todo excesso de água e lama nas ruas abaixo.

As vítimas acionaram a PM e registram uma ocorrência. Moradores fotografaram os danos na estrutura das casas e nas mobílias para futuras ações judiciais.

Não é a primeira vez que o problema acontece e, apesar de acionarem a Prefeitura de Reduto, nenhuma providência foi tomada.

Neste mesmo período (novembro) em 2015, a cidade foi sido afetada por um mar de lama que cobriu além das ruas citadas acima, outras ruas do centro e do bairro Dom Pedro II. Na época a terra era proveniente de desaterro de loteamentos próximos as ruas mais baixas, na época diversos moradores tiveram as casas inundadas.

Novamente os problemas se repetem, enquanto que por parte do poder público, nenhuma solução definitiva foi apresentada ou mesmo medidas paliativas.

Na reunião desta terça (6), uma moradora que já teve sua casa inundada por diversas vezes e enormes prejuízos, pediu a palavra na Câmara Municipal e desabafou. Foi questionada a demora, a falta de comprometimento e de projetos no sentido de precaver esses acontecimentos que se repetem ano após ano.

Os vereadores dizendo-se sensibilizados com a situação, prometeram que buscariam juntamente com executivo, meios de solucionarem em definitivo os problemas relatados pelos moradores.

PREJUÍZOS

Em Reduto, a forte chuva causa danos em residências e enormes prejuízos aos moradores da rua Rua Santa Luzia, na área central. Cinco famílias acionaram a Polícia Militar e registraram ocorrência depois da chuva intensa.

De acordo com os moradores, os danos foram causados porque a rede pluvial da rua Rua Santa Luzia, que não suportaram a quantidade de água da chuva, vindo a invadir as residências.

Parte do muro situado no complexo da faculdade Fadileste, o qual fica nos fundos das residências das vítimas, desabou com a força da enxurrada e acabou atingindo um outdoor que veio a cair sobre a lateral de uma varanda da casa vizinha.

 Diversos moveis, eletrodomésticos, alimentos, roupas, além de outro muro da casa de uma moradora, também foi derrubado pela força das águas da enxurrada que invadiu e inundou o terreno, chegando a comprometendo a estrutura da varanda.

Uma aposentada que reside sozinha em casa, precisou receber ajuda de membros de uma igreja vizinha á residência. A senhora precisou ficar em cima da cama, pois a água e lama além de entulhos arrastados pela enxurrada invadiram todos os cômodos da casa.

Famílias da rua Diácono Ernesto Perrú, já perderam as contas de quantas vezes tiveram suas casas inundadas, a água e lama chegou a alcançar 80 cm dentro das casas, danificando móveis e eletrodomésticos.

As vítimas foram orientadas pela PM a fotografarem os danos na estrutura das casas e nas mobílias para futuras ações judiciais. Não é a primeira vez que o problema acontece e, apesar de acionarem a Prefeitura de Reduto, nenhuma providência foi tomada.

Com informações do Portal Reduto

Compartilhar

Comentários

O Portal Caparaó não se responsabiliza por qualquer comentário expresso no site ou através de qualquer outro meio, produzido através de redes sociais ou mensagens. O Portal Caparaó se reserva o direito de eliminar os comentários que considere inadequados ou ofensivos, provenientes de fontes distintas. As opiniões são de responsabilidade de seus autores.